6 de dezembro de 2016

Dias que não precisariam existir
Gente que deveria desaparecer
Na sua insignificância...
Difícil entender que alguém precise rebaixar outrem para se engrandecer
Porco!!!
Dói não poder bater...o ponto. 
O ponto final de uma jornada desesperadora...com vermes roendo a carne...
Quase a alcançar a alma..
Alma que chora, que sofre, que talvez não suporte mais

17 de junho de 2016

"Há tempo para todos... tem paciência e boas conversas...então...deixe os As e os Bs... as Simones.. as Amandas..os estranhos e as estranhas..... qualquer nome... povoar seus sonhos..pesadelos..devaneios..insatisfações... É preciso mais do que se ofecere...
Talvez, seja o caso de contentar-se com pouco... mas não! Terminantemente proibido aceitar migalhas de algo que não é completo nem em sua essência...

Enfim, a todos aqueles que acreditam ser possível viver uma vida falsa e recusam a deparar-se com a obviedade das relações humanas... desperdiçando sentimentos concretos... fugindo para seus mundos abstratamente criados..."

"Confesso hoje acordei achando tudo indiferente..."

16 de maio de 2016

Morte súbita

..e de repente..a esperança soltou o último suspiro.. 

31 de março de 2016

... à deriva ....



"Nenhum homem é uma ilha, completo em si próprio; cada ser humano é uma parte do continente, uma parte de um todo" (John Donne)

...e, mesmo se fosse, estaria cercado por um mar de gente..  

14 de janeiro de 2016

"A dor é inevitável. O sofrimento é opcional." - Carlos Drummond de Andrade

“Definitivo, como tudo o que é simples. Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional...

22 de julho de 2015

Obrigado por estar aqui.....

"Quantas vezes eu quis
Tão longe buscar que nunca percebi
Por tantos lugares passei
Mas afinal, Você sempre esteve aqui

Quantas vezes eu quis
Por um instante Te fazer feliz
Seja com minha voz, meu louvor, meu amor 
Meu coração se agita quando Você
Me olha assim,
Tudo que eu tenho é Você

Mesmo fraco em pedaços
Eu prefiro Te dizer
Obrigado por estar...
Ao Teu lado me refaço
Eu preciso ter Você
Obrigado por estar aqui.


Quantas vezes errei,
Mas no final permaneceu o amor,
Renasceu em mim 
A Força da Cruz,
Que eu já não sei mais
O que é viver
Um dia sem Você,
Faz parte do meu ser"



(Rosa de Saron)

27 de maio de 2015

Meus 30 e poucos anos...



Lembro-me bem quando a música "20 e poucos anos" podia até mesmo ser a trilha sonora da minha vida (se bem que inúmeras outras músicas marcaram meus momentos rsrsrs)...
No entanto, não faz mais sentido.
Não porque não tenha planos irrenunciáveis..pelo contrário.
A irrenunciabilidade e a necessidade de concretização se baseiam no fato de que não estou mais só (não que eu tenha estado, de fato, algum dia...mas enfim).
A "maturidade" me alcançou...mostrou-me que sou mais que eu mesma..e só.
Não é que sei...eu sou...e isso faz diferença na maneira em que encaro o presente e o futuro (o passado passou...).

"A maturidade começa a manifestar-se quando sentimentos que nossa preocupação é maior pelos demais que por nós mesmos" (Albert Einstein).


Confesso que o dia a dia cansa mais do que outrora... rsrsrsrrs Não consigo mais passar uma noite em claro sem que o dia seguinte seja péssimo....uma verdadeira ressaca sem beber! :D ... Ônus que o tempo cobra do corpo.

Hoje sou amor, paixão, dor, alegria, família, amigos...sou várias em uma só mulher. 
Hoje me sinto completa, mesmo não tendo alcançado todos os meus sonhos materiais...mas os imateriais...estes sim...chegam de forma tão natural que parecem que sempre estiveram lá!

Cada época tem sua beleza.. a minha hoje é buscar a plenitude em cada momento!

Quero saber bem mais que os meus 30 e poucos anos...